Harmonizar a ciência e a Escritura? | 22Nov2014 15:22:28

crafty_5ea20a2_P_b.jpg

Cristãos "sofisticados", bem-intencionados, mas desinformados, podem de fato prejudicar a causa. 

--------------
Traduzido com a permissão de CMI
creation.com
--------------

Por Gary Bates

É rara a semana (sim, é mesmo frequente) em que não nos dão uma recomendação sobre um livro novo cuja informação publicitária na contracapa diz mais ou menos isto:

Este penetrante livro demonstra que não há contradição entre a ciência e a Escritura.” Ou “Este livro concilia as tensões entre a ciência e a Escritura”.

Essas descrições já bastam para revelar a provável tendenciosidade do autor contra aceitar o entendimento simples e claro da Bíblia.

De forma semelhante, os nossos oradores são muitas vezes confrontados por cristãos bem-intencionados que partilham entusiasticamente a sua “nova” teoria sobre a forma como Deus criou o universo, talvez durante o Big Bang, e que, uma vez que o tempo para Deus não é como para nós, os dias de Génesis poderiam ser longos períodos de tempo. O facto de essas opiniões continuarem a ser perpetuadas na igreja significa que muitos ainda não compreenderam qual é a maior objeção à autoridade da Escritura — a teoria da evolução e a questão temporal que lhe está associada. Infelizmente, a maioria das pessoas aceita cegamente as “interpretações” dos cientistas seculares. E por “seculares” refiro-me ao seu desejo de explicarem todas as coisas de forma natural ou material – para citar o evolucionista Carl Sagan: “a matéria é tudo o que existiu ou existirá”.

Tanto os criacionistas como os evolucionistas dispõem dos mesmos factos; as mesmas rochas, os mesmos fósseis e os mesmos dados para estudo. Mas o ponto cego flagrante destes cristãos bem-intencionados é a sua incapacidade para compreenderem que não há nada nestes factos que nos permita, de forma independente, determinar a idade da Terra ou do universo. As idades antigas são deduzidas porque as pessoas cederam a interpretações “científicas” que começam fora da Bíblia; em seguida usam essas interpretações para nos explicarem o que a Bíblia quer dizer!

Deus usou o Big Bang e a evolução?
A hermenêutica1 errada cria enormes inconsistências internas na Escritura e também tremendos problemas teológicos. Por exemplo, o “Big Bang” é uma palavra forte que não pode ser rapidamente isolada da bagagem evolucionista que a acompanha. Ver na caixa a forma como a ordem de aparecimento num cenário de Big Bang/idade longínqua contradiz completamente o Génesis 1.2 Isso enfraquece a integridade da Escritura.

A ordem de aparecimento no Big Bang/evolucão A ordem de aparecimento (no Génesis 1
1. O sol/estrelas existiam antes da Terra 1. A Terra foi criada antes do sol/estrelas
2. O sol é a primeira luz da Terra 2. A luz foi criada antes do sol
3. Primeira vida = organismos marinhos 3. Primeira vida = plantas terrestres
4. Os répteis são anteriores às aves 4. As aves são anteriores aos répteis terrestres
5. Os mamíferos terrestres são anteriores às baleias 5. As baleias são anteriores aos mamíferos terrestres
6. A doença/morte precedem o homem 6. A doença/morte resultam do pecado do homem



Mesmo a cedência em relação a uma Terra antiga tem problemas semelhantes. Isto porque o próprio conceito de uma Terra com milhares de milhões de anos de idade se baseia na crença de que muitas camadas de rochas sedimentares endurecidas que se encontram em formações geológicas por todo o mundo foram depositadas e acumularam-se lentamente ao longo de milhares de milhões de anos (em vez de serem o resultado do Dilúvio global do tempo de Noé). O problema para os cristãos que acreditam na Terra antiga e na evolução é que a maioria destas camadas contêm fósseis. Estes são um registo maciço de mortes, doenças, carnificina, tumores, ossos partidos, etc.; coisas que, biblicamente, só teriam começado a acontecer depois da Queda do homem e da entrada do pecado e da morte (Romanos 5:12, 8:20–22). Em resumo, uma crença numa Terra antiga (mesmo sem a evolução) viola o Evangelho em si e a razão para a morte substitutiva de Cristo (do último Adão) numa cruz cruel.(3)

Quando nos cruzamos com livros ou pessoas com estas ideias desajustadas, elas ou caricaturam aquilo em que os criacionistas acreditam ou, quando lhes é perguntado, nunca se preocuparam em ler qualquer literatura criacionista. Alguém me disse: “Para quê? As provas para uma Terra antiga são esmagadoras.” Sem querer ser mal-educado, estamos perante uma “ignorância intencional” (2 Pedro 3:3–7). Atualmente existe uma enorme variedade de informação que corrobora aquilo que a Bíblia diz claramente quando toca em matérias científicas em relação ao passado da Terra.

Ainda há muito a fazer
A experiência mostra que muitos destes cristãos bem-intencionados, que tentam conciliar a evolução/milhões de anos com a Bíblia, representam a percentagem mais elevada daqueles que deixam a fé, particularmente os nossos jovens. É o terreno escorregadio que conduz à descrença total.

E por último, em termos de utilização dessas noções transigentes “pacíficas e redutoras de tensões” para chegar aos outros, quantos vêm para a fé porque pensam que podem adicionar a evolução ou um Big Bang à Bíblia? Na realidade, será que as pessoas tendem a ficar discípulos convictos e crentes em Cristo, ao não acreditarem no que a Bíblia ensina claramente? Tal como o professor evolucionista ateu Richard Dawkins comentou, aqueles “teólogos sofisticados [que] estão felizes aceitando a evolução — penso que estão enganados”.(4) Portanto, o compromisso não convence aqueles que só ouviram informação relativa à evolução e aos milhões de anos. Mas ao ajudá-los a utilizar a Bíblia como um filtro interpretativo, o mundo pode começar a fazer sentido em termos da história da Bíblia — especialmente quando se lida com algumas das grandes questões da vida, tais como a nossa mortalidade e o sentido e propósito da vida.

Esperamos que consiga ver a necessidade de nos ajudar a fazer chegar esta informação crucial aos crentes para que eles se possam tornar testemunhas efetivas.


Referências e notas
1.    Isto é, o método para interpretar as Escrituras.
2.    Ver creation.com/did-god-use-a big-bang
3.    Ver creation.com/did-god-create-over-billions-of-years
4.    Ver www.youtube.com/watch?v=BAbpfn9QgGA




Partilhar:

Artigos Relacionados
Comentários
Não existem comentários

Nome:
Endereço de email (não será publicado):
comentários:

Notícias

noticiasoferta.png

Procura
Criação Vs Evolução


Introdução           
Origem do universo
Origem da vida
Origem do homem 
Datações
O mundo não pode ter M de anos
Catástrofe e não processos lentos
Coluna geológica
Não é preciso M de anos      
Afinal era mentira...   
         
Bibliografia


Fruto Eterno

 

Mapa de tráfego
Contacto

correio.jpg

©2017, BlogTok.com | Plataforma xSite. Tecnologia Nacional