500 cientistas doutorados céticos de Darwin | 26Mai2012 15:18:18

darwinskeptics_p05_landscape_w.jpg

Mais de 500 cientistas com doutorado assinaram uma declaração expressando ceticismo sobre a teoria da evolução de Darwin.

A declaração, que inclui o endosso por membros da prestigiada National Academy of Sciences dos EUA e da Academia Russa de Ciências, foi publicado pela primeira vez pelo Seattle Discovery Institute, em 2001, para contestar afirmações sobre a evolução darwiniana feitas na promoção da série da PBS "Evolution".

A promoção da PBS alegava que "praticamente todos os cientistas do mundo acreditam que a teoria seja verdadeira."

"Os darwinistas continuam a afirmar que nenhum cientista sério duvida da teoria e no entanto aqui estão 500 cientistas que estão dispostos a tornar público seu ceticismo acerca da teoria", disse John G. West, diretor associado do Centro do Instituto Discovery para Ciência e Cultura.

O instituto é o principal promotor da teoria do Design Inteligente, que tem estado no centro de contestações no tribunal federal sobre o ensino da evolução nas aulas do ensino público. Os defensores dizem que ele se baseia em recentes descobertas na física, bioquímica e disciplinas relacionadas que indicam que algumas características do mundo natural são melhor explicadas como o produto de uma causa inteligente, em vez de um processo não-direcionado como a seleção natural.

West disse que "os esforços dos darwinistas para usar os tribunais, os meios de comunicação e os comités de posse académicos para suprimir a dissidência e reprimir a discussão são, de facto, alimentando ainda mais a dissidência e inspirando mais cientistas a pedir para serem adicionados à lista."

A declaração, assinada por 514 cientistas, diz:

"Nós somos céticos das afirmações da capacidade da mutação aleatória e da seleção natural explicarem a complexidade da vida. Um exame cuidadoso da evidência a favor da teoria darwinista deve ser encorajado."

West disse que o Discovery Institute foi encorajado a lançar um site com a lista por causa do crescente número de dissidentes científicos.

"A Teoria da evolução de Darwin é o grande elefante branco do pensamento contemporâneo", disse David Berlinski, um signatário, matemático e filósofo da ciência com o Centro do Instituto Discovery para Ciência e Cultura. "É grande, quase completamente inútil, e objeto de temor supersticioso."

Outros signatários proeminentes incluem Philip Skell, membro da National Academy of Sciences dos EUA, Lyle Jensen Membro da Associação Americana para o Avanço da Ciência, Stanley Salthe, biólogo evolucionista e autor de livros didáticos; Richard von Sternberg, biólogo evolucionista do Smithsonian Institution e pesquisador do Instituto Nacional do Centro Nacional de Saúde para a Biotecnologia da Informação, editor da Rivista di Biologia / Biology Forum - o jornal mais antigo de biologia ainda publicado no mundo - Giuseppe Sermonti e oembriologista Lev Beloussov da Academia Russa de Ciências Naturais.

A lista inclui 154 biólogos, 76 químicos e 63 físicos. Eles têm doutorados em ciências biológicas, física, química, matemática, medicina, ciência da computação e disciplinas afins.

Muitos são professores ou pesquisadores das principais universidades e instituições de pesquisa como o MIT, o Smithsonian, Universidade de Cambridge, UCLA, Universidade da Califórnia em Berkeley, Universidade de Princeton, Universidade da Pensilvânia, Ohio State University, University de Geórgia e Universidade de Washington.

http://www.wnd.com/2006/02/34901/








Partilhar:

Artigos Relacionados
Comentários
Não existem comentários

Nome:
Endereço de email (não será publicado):
comentários:

Notícias

noticiasoferta.png

Procura
Criação Vs Evolução


Introdução           
Origem do universo
Origem da vida
Origem do homem 
Datações
O mundo não pode ter M de anos
Catástrofe e não processos lentos
Coluna geológica
Não é preciso M de anos      
Afinal era mentira...   
         
Bibliografia


Fruto Eterno

 

Mapa de tráfego
Contacto

correio.jpg

©2017, BlogTok.com | Plataforma xSite. Tecnologia Nacional